Diocese de Assis

Quarta, 03 29th

Last updateSeg, 27 Mar 2017 7pm

  REGIÃO PASTORAL I   REGIÃO PASTORAL III
  Texto: Daniele Melo Fotos: Elias Pereira (Pascom Diocesana) Milhares de fiéis católicos participaram domingo da cerimônia de posse do novo bispo diocesano, D. Argemiro Azevedo, recém nomeado pelo Papa Francisco, na Catedral. Ordenado no dia 25 de fevereiro em Araçatuba seu lema será “Apascenta meus cordeiros”, lembrando a obrigação do bispo ser para a igreja a ele confiada, “sinal da presença do Cristo, pastor e esposo, mestre e pontífice da igreja”. Às 16h30, D. Argemiro seguiu em carreata do bispado à Catedral. Antes da cerimônia foi recebido por D. Maurício Grotto de Camargo, ex-bispo de Assis e atual arcebispo de Botucatu. Ainda na praça da igreja, a Banda Municipal de Rancharia e também a do Tiro de Guerra, entoaram os hinos Nacional e Pontifício (Hino de Roma). Em seguida, o novo bispo entrou na Catedral, recebeu a Cruz do Vigário Geral, aspergiu a comunidade e junto do Colégio dos Consultores seguiu até a Capela do Santíssimo para uma breve adoração. Participaram da cerimônia diversas comunidades das paróquias da região e de Araçatuba, onde D. Argemiro era pároco, além dos padres, bispos, seminaristas, familiares e amigos da Congregação Claretiana. D. Mauricio iniciou a missa e antes das leituras dominicais passou o báculo (cajado simbolizando o papel do bispo como pastor do rebanho divino) a D. Argemiro que com o bastão em mãos abençoou a Cátedra (cadeira pontifícia) e sentou, tornando-se então o bispo diocesano de Assis. “Só tenho que agradecer a presença de todos; fui muito bem recebido pelos fiéis e é uma alegria imensa poder fazer parte desta diocese; a partir de agora vou conhecer os leigos, agentes de pastoral, conviver e organizar com o clero um plano de ação para caminharmos juntos; a diocese de Assis tem uma caminhada muito longa, uma comunidade que perseverou; a união do clero quero manter viva assim como toda a igreja, viva e fraterna; com respeito e amor quero dar continuidade, cuidar dos jovens, dos doentes, pobres, idosos e famílias; vou lutar com todas as forças pelas famílias; vou ficar aqui até morrer”, planeja. D. Argemiro nasceu dia 3 de dezembro de 1952, em Fernandópolis e foi ordenado sacerdote em 1980, por São João Paulo II, no estádio do Maracanã, Rio de Janeiro. Fez diversas especializações nas áreas de Educação e Gestão Universitária. O religioso integra a Congregação dos Missionários Filhos do Coração Imaculado de Maria, mais conhecidos como Missionários Claretianos. Após a missa foi servido um jantar aos padres, seminaristas, religiosos e familiares de D. Argemiro, no Salão Verde da Catedral. ASSISTA O VÍDEO COM OS MELHORES MOMENTOS FOTOS NO FACEBOOK DA DIOCESE DE ASSIS    
    REGIÃO PASTORAL I   SANTUÁRIO NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS - VILA ADILETA - ASSIS DIA: 11 DE MARÇO TEL: (18) 3322-2336   PARÓQUIA SÃO NICOLAU - ASSIS DIAS: 20 E 21 DE MAIO TEL: (18) 3324-4836   PARÓQUIA NOSSA SENHORA DAS DORES - CÂNDIDO MOTA/SP DIAS: 17 E 18 DE JUNHO TEL: (18) 3341-1226   PARÓQUIA NOSSA SENHORA DAS DORES - VILA OPERÁRIA - ASSIS DIAS: 26 E 27 DE AGOSTO TEL: (18) 3322-2538   PARÓQUIA NOSSA SENHORA DE FÁTIMA - VILA PRUDENCIANA DIA: 17 DE SETEMBRO TEL: (18) 3322-3237   CATEDRAL SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS E SÃO FRANCISCO DE ASSIS DIA: 22 DE OUTUBRO TEL: (18) 3322-5575   PARÓQUIA NOSSA SENHORA DAS DORES - CÂNDIDO MOTA/SP DIAS: 11 E 12 DE NOVEMBRO TEL: (18) 3341-1226         REGIÃO PASTORAL II   PARÓQUIA         REGIÃO PASTORAL III   PARÓQUIA NOSSA SENHORA DO PATROCÍNIO - MARACAÍ/SP DIA: 26 DE MARÇO TEL: (18) 3371-1310         REGIÃO PASTORAL IV   PARÓQUIA NOSSA SENHORA APARECIDA - ECHAPORÃ/SP DIAS: 11 E 12 DE MARÇO TEL: (18) 3356-1264   PARÓQUIA SANTO ANTÔNIO - PALMITAL/SP DIA: 28 DE MAIO TEL: (18) 3351- 4423             ENVIE AS DATAS DA CATEQUESE PRÉ-MATRIMONIAL DA SUA PARÓQUIA PARA O NOSSO E-MAIL:  diocesedeassis@gmail.com      
Breve Catequese sobre o Sacramento da Confissão Por: Padre Wagner Augusto Portugal   1. O QUE É A CONFISSÃO? R: Confissão ou Penitência é o Sacramento instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo, para que os cristãos possam ser perdoados de seus pecados, e receberem a graça santificante. Também é chamado de sacramento da Reconciliação.   2. QUEM INSTITUIU O SACRAMENTO DA CONFISSÃO OU PENITÊNCIA? R: O sacramento da Penitência foi instituído por Nosso Senhor Jesus Cristo, segundo nos ensina o Evangelho de São João: "Depois dessas palavras (Jesus) soprou sobre eles dizendo-lhes: Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem vocês perdoarem os pecados, ser-lhes-ão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ser-lhes-ão retidos" (Jo 20, 22-23)   3. A IGREJA TEM A AUTORIDADE PARA PERDOAR OS PECADOS ATRAVÉS DO SACRAMENTO DA PENITÊNCIA? R: Sim, a Igreja tem esta autoridade porque a recebeu de Nosso Senhor Jesus Cristo: "Em verdade vos digo: tudo o que ligardes sobre a terra será ligado no céu, e tudo o que desligardes sobre a terra será também desligado no céu"(Mt 18,18).    4. POR QUE ME CONFESSAR E PEDIR O PERDÃO PARA UM HOMEM IGUAL A MIM?   R: Só Deus perdoa os pecados. O Padre, mesmo sendo um homem sujeito às fraquezas como outros homens, está ali em nome de Deus e da Igreja para absolver os pecados. Ele é o ministro do perdão, isto é, o intermediário ou instrumento do perdão de Deus, como os pais são instrumentos de Deus para transmitir a vida a seus filhos, como o médico é um instrumento para restituir a saúde física, etc.   5. OS PADRES E BISPOS TAMBÉM SE CONFESSAM? R: Sim, obedientes aos ensinamentos de Cristo e da Igreja, todos os Padres, Bispos e mesmo o Papa se confessam com freqüência, conforme o mandamento: "Confessai os vossos pecados uns aos outros " (Tg 5,16 ).   6. O QUE É NECESSÁRIO PARA FAZER UMA BOA CONFISSÃO? R: Para se fazer uma boa confissão são necessárias 5 condições: a) um bom e honesto exame de consciência diante de Deus; b) arrependimento sincero por ter ofendido a Deus e ao próximo; c) firme propósito diante de Deus de não pecar mais, mudar de vida, se converter; d) confissão objetiva e clara a um sacerdote; e) cumprir a penitência que o mesmo nos indicar.   7. COMO DEVE SER A CONFISSÃO? R: Diga o tempo transcorrido desde a última confissão. Acuse (diga) seus pecados com clareza, primeiro os mais graves, depois os mais leves. Fale resumidamente, mas sem omitir o necessário. Devemos confessar os nossos pecados e não os dos outros. Porém se participamos ou facilitamos de alguma forma o pecado alheio, também cometemos um pecado e devemos confessá-lo (por exemplo, se aconselhamos ou facilitamos alguém a praticar um aborto, somos tão culpados como quem cometeu o aborto).    8. O QUE PENSAR DA CONFISSÃO FEITA SEM ARREPENDIMENTO OU SEM PROPÓSITO DE CONVERSÃO, OU SEJA SÓ PARA "DESCARREGAR" UM POUCO OS PECADOS? R: Além de ser uma confissão totalmente sem valor, é uma grave ofensa à misericórdia Divina. Quem a pratica, comete um pecado grave de sacrilégio.   9. QUE PECADOS SOMOS OBRIGADOS A CONFESSAR? R: Somos obrigados a confessar todos os pecados graves (mortais). Mas é aconselhável também confessar os pecados leves (veniais) para exercitar a virtude da humildade.   10. O QUE SÃO PECADOS GRAVES (MORTAIS) E SUAS CONSEQÜÊNCIAS? R: São ofensas graves à Deus ou ao próximo. Apagam a caridade no coração do homem; desviam o homem de Deus. Quem morre em pecado grave (mortal) sem arrependimento, merece a morte eterna, conforme diz a Escritura: "Há pecado que leva à morte" (1Jo 5,16b).   11. O QUE SÃO PECADOS LEVES (ou também chamados de VENIAIS)? R: São ofensas leves a Deus e ao próximo. Embora ofendam a Deus, não destroem a amizade entre Ele e o homem. Quem morre em pecado leve não merece a morte eterna. "Toda iniqüidade é pecado, mas há pecado que não leva à morte" (1Jo 5, 17).   12. PODEIS DAR ALGUNS EXEMPLOS DE PECADOS GRAVES? R: São pecados graves por exemplo: O assassinato, o aborto provocado, assistir ou ler material pornográfico, destruir de forma grave e injusta a reputação do próximo, oprimir o pobre o órfão ou a viúva, fazer mau uso do dinheiro público, o adultério, a fornicação, entre outros.   13. QUER DIZER QUE TODO AQUELE QUE MORRE EM PECADO MORTAL ESTÁ CONDENADO? R: Merece a condenação eterna. Porém somente Deus que é justo e misericordioso e que conhece o coração de cada pessoa pode julgar.   14. E SE TENHO DÚVIDAS SE COMETI PECADO GRAVE OU NÃO? R: Para que haja pecado grave (mortal) é necessário: a) conhecimento, ou seja a pessoa deve saber, estar informada que o ato a ser praticado é pecado; b) consentimento, ou seja a pessoa tem tempo para refletir, e escolhe (consente) cometer o pecado; c) liberdade, significa que somente comete pecado quem é livre para fazê-lo; d) matéria, significa que o ato a ser praticado é uma ofensa grave aos mandamentos de Deus e da Igreja. Estas 4 condições também são aplicáveis aos pecados leves, com a diferença que neste caso a matéria é uma ofensa leve contra os mandamentos de Deus.   15. SE ESQUECI DE CONFESSAR UM PECADO QUE JULGO GRAVE? R: Se esquecestes realmente, o Senhor te perdoou, mas é preciso acusá-lo ao sacerdote em uma próxima confissão.   16. E SE NÃO SINTO REMORSO, COMETI PECADO? R: Não sentir peso na consciência (remorso) não significa que não tenhamos pecado. Se nós cometemos livremente uma falta contra um mandamento de Deus, de forma deliberada, nós cometemos um pecado. A falta de remorso pode ser um sinal de um coração duro, ou de uma consciência pouco educada para as coisas espirituais. (por exemplo, um assassino pode não ter remorso por ter feito um crime, mas seu pecado é muito grave).   17. A CONFISSÃO É OBRIGATÓRIA? R: O católico deve confessar-se no mínimo uma vez por ano, ao menos para preparar-se para a Páscoa. Mas somos também obrigados toda vez que cometemos um pecado mortal.   18. QUAIS OS FRUTOS DE SE CONFESSAR CONSTANTEMENTE? R: Toda confissão apaga completamente nossos pecados, até mesmo aqueles que tenhamos esquecido. Nos dá a graça santificante, tornando-nos naquele instante uma pessoa santa. Tranqüilidade de consciência, consolo espiritual. Aumenta nossos méritos diante do Criador. Diminui a influência do demônio em nossa vida. Faz criar gosto pelas coisas do alto. Nos exercita na humildade e faz crescer todas as virtudes.   19. E SE TENHO DIFICULDADE PARA CONFESSAR UM DETERMINADO PECADO? R: Se somos conhecidos de nosso pároco, devemos neste caso fazer a confissão com outro padre para nos sentirmos mais à vontade. Em todo caso antes de se confessar converse com o sacerdote sobre a sua dificuldade. Ele usará de caridade para que a sua confissão seja válida sem causar-lhe constrangimentos. Lembre-se, ele está no lugar de Jesus Cristo!   20. O QUE SIGNIFICA A PENITÊNCIA DADA NO FINAL DA CONFISSÃO? R: A penitência proposta no fim da confissão não é um castigo; mas antes uma expressão de alegria pelo perdão celebrado.

Região I

Breve Catequese sobre o Sacramento da Confissão Por: Padre Wagner Augusto Portugal   1. O QUE É A CONFISSÃO? R: Confissão ou Penitência...
Veja todas ...

Região III

Artigo do Mês

Região IV

CONFISSÕES COMUNITÁRIAS

CONFISSÕES COMUNITÁRIAS

| Paróquia São Sebastião
...
Veja todas ...

Pastorais, Movimentos e Comunidades

CLIQUE AQUI PARA IMPRIMIR O MATERIAL DA FORMAÇÃO Centenas de convidados participaram da iniciativa O Santuário Nossa Senhora das Graças, vila Adileta...
Veja todas ...

Cadastro do Usuário

Temos Um visitante e Nenhum membro online