Diocese de Assis

Segunda, 09 22nd

Last updateSeg, 22 Set 2014 1am

Subsídio para a missa em louvor a SÃO FRANCISCO DE ASSIS Padroeiro da Diocese de Assis      Pintura da catedral de Assis Monição inicial   Caríssimos irmãos e irmãs, PAZ E BEM! É com muita alegria que nos reunimos hoje, em comunhão com toda a nossa querida diocese de Assis para celebramos a festa de nosso padroeiro diocesano, SÃO FRANCISCO DE ASSIS. São Francisco nasceu em Assis, na Itália no ano de 1182. Depois de viver uma juventude desregrada, converteu-se a Cristo, renunciou a todos os bens de seus pais e entregou-se inteiramente a Deus. Abraçou a pobreza e pregou incansavelmente o amor de Deus. Morreu em 1226, com 44 anos. Peçamos nesta celebração, que Deus Pai em sua infinita bondade nos ensine, como a são Francisco de Assis, a promover o bem, a paz e a justiça entre todos os irmãos e irmãs e, sermos fiéis servidores do seu Reino. Iniciemos nossa celebração cantando.   - canto inicial Ritos Iniciais   Pe:  Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Ass.  Amém.   Pe.: O Senhor, que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo, esteja convosco. Ass.: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.   - Ato Penitencial   O Padre introduz a celebração e ao ato penitencial: Irmãos e Irmãs, Neste mês missionário também festejamos nosso padroeiro Diocesano, São Francisco de Assis. Como a São Francisco, o próprio Jesus nos enviou, para que em todos os lugares possamos pregar sua Palavra e a todos socorrer com generosidade. Que a exemplo deste grande santo,  não tenhamos medo de renunciar a todas as coisas que nos impedem de servir a Deus e, tenhamos coragem de sair ao encontro dos irmãos e irmãs que sofrem. Em espírito de arrependimento, por nem sempre demonstrarmos nossa preocupação com nossos irmãos e irmãs sofredores e, por não darmos testemunho de nossa fé, promovendo o Reino de Deus aqui na terra, peçamos perdão, implorando a divina misericórdia.   Depois de uma breve pausa: Ato penitencial   - Canto penitencial   Pe: Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. Ass.  Amém.   Entoa-se oHino de Louvor   - Canto   Oração da Coleta Oremos: Ó Deus, que fizestes São Francisco de Assis assemelhar-se ao Cristo por uma vida de humildade e pobreza, concedei que, trilhando o mesmo caminho, sigamos fielmente o vosso Filho, unindo-nos convosco na perfeita alegria. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Ass.: Amém   Monição para as leituras   A Igreja nos chama a atenção para a fidelidade no seguimento do Senhor. São Francisco de Assis se dedicou incansavelmente na reconstrução da Igreja de seu tempo. Desse modo, hoje também somos chamados a nos ocuparmos com as coisas de Deus e sermos fiéis trabalhadores na vinha do Senhor, produzindo os frutos de amor no meio da sociedade.   Liturgia da Palavra (Domingo do tempo Comum)   Homilia (Pela homilia somos orientados no caminho de Cristo.) - após a homilia   Oração da Assembleia   Pe.:Irmãos e irmãs dirijamos nossas preces ao coração de Deus, nosso Pai, para que Ele nos fortaleça em nossa caminhada de comunidade, e que assim como Francisco, sejamos promotores do amor e da paz, dizendo juntos:   Ass.Senhor, fazei de nós instrumentos de sua paz!   1- Pelo nosso papa Bento XVI, para que o Senhor o fortalece em sua missão, rezemos ...   2- Por Dom Simão, nosso bispo Diocesano e por todo o clero de nossa diocese, para que servindo a Deus, na humildade de São Francisco, sejam incentivadores e promotores da justiça, do amor e da paz, rezemos ...   3- Para que todos os membros de nossa comunidade se empenhem em construir a paz no seio de suas famílias, rezemos ...   4- Para que os casais de nossa comunidade se conscientizem que a paz da família é fruto da fé e do amor, e que eles se esforcem para conseguí-la por meio da compreensão, do diálogo e do perdão, rezemos ...   5- Por todas as crianças e jovens, para que desde já se empenhem na construção de um mundo mais justo e fraterno, vivendo em todos os lugares o amor e o respeito para com as pessoas e para com a natureza, rezemos ...   Pe.: Concluamos nossas preces cantando (rezando) a oração de são Francisco de Assis   Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz.  Onde houver ódio, que eu leve o amor;  Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;  Onde houver discórdia, que eu leve a união;  Onde houver dúvida, que eu leve a fé;  Onde houver erro, que eu leve a verdade;  Onde houver desespero, que eu leve a esperança;  Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;  Onde houver trevas, que eu leve a luz.   Ó Mestre, Fazei que eu procure mais  consolar, que ser consolado;  compreender, que ser compreendido;  amar, que ser amado.  Pois, é dando que se recebe,  é perdoando que se é perdoado,  e é morrendo que se vive para a vida eterna.   Ass.Amém.   (Segue-se a liturgia eucarística) Liturgia eucarística   Oração sobre as oferendas Ao apresentarmos, ó Deus, as nossas oferendas, preparai-nos para celebrar o mistério da cruz, que São Francisco abraçou com tanto amor. Por Cristo, nosso Senhor. Ass.:  Amém.   Oração Eucarística   Oração após a comunhão Oremos: Ó Deus, pela comunhão na vossa Eucaristia, dai-nos imitar o amor de São Francisco e seu zelo apostólico, para que, impregnados da vossa caridade, nos empenhemos na salvação de todos . Por Cristo, nosso Senhor. Ass.:Amém.   Bênção final   Pe.:  O Senhor esteja convosco Ass.:    Ele está no meio de nós Pe.:  Bendito seja o nome do Senhor. Ass.:    Agora e para sempre. Pe.: A nossa proteção está no nome do Senhor. Ass.:  Que fez o céu e a terra. Pe.: Desça do céu, pela intercessão de São Francisco de Assis,         a bênção de Deus todo-poderoso, Pai e Filho †e Espírito Santo. Ass.:Amém.     Ritual para a Bênção dos animais   Animador: Paz e Bem !!! Sabemos que muitos animais, pela divina providência do Criador, participam de diversas maneiras, da vida diária dos seres humanos. Os animais nos auxiliam em nosso trabalho, nos servem de alimento, e nos servem de companhia e distração. Tendo em vista isto, é de grande valia que conservemos o costume de invocar a bênção divina sobre as outras criaturas que compartilham conosco a vida do planeta.   - canto inicial   Pe.: Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo Ass.  Amém.   Pe.: A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco. Ass. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.   Pe.: Glorifiquemos de todo coração, ao Senhor, nosso Deus, criador de todas as coisas e que tudo fez com sabedoria. Os animais criados por Deus que habitam o céu, a terra e o mar. Compartilham do destino da humanidade no planeta terra e estão ligados à sua vida. Ao invocarmos a bênção de Deus sobre estes animais, nós louvamos o criador de todas as coisas, e damos graças por Ele ter nos elevado acima de todas as criaturas. Peçamos, portanto, a Deus misericordioso a capacidade de reconhecermos a nossa dignidade e a exercermos com justiça, amor e dedicação, o cuidado para com todas as criaturas de Deus, e que por isso possamos caminhar sempre em sua lei. Por Jesus Cristo, nosso Senhor. Ass.Amém.   Liturgia da Palavra     (Gênesis 1, 20 – 30)   Leitura do Livro do Gênesis Deus disse: "Pululem as águas de uma multidão de seres vivos, e voem aves sobre a terra, debaixo do firmamento dos céus."Deus criou os monstros marinhos e toda a multidão de seres vivos que enchem as águas, segundo a sua espécie, e todas as aves segundo a sua espécie. E Deus viu que isso era bom. E Deus os abençoou: "Frutificai, disse ele, e multiplicai-vos, e enchei as águas do mar, e que as aves se multipliquem sobre a terra." Sobreveio a tarde e depois a manhã: foi o quinto dia. Deus disse: "Produza a terra seres vivos segundo a sua espécie: animais domésticos, répteis e animais selvagens, segundo a sua espécie." E assim se fez. Deus fez os animais selvagens segundo a sua espécie, os animais domésticos igualmente, e da mesma forma todos os animais, que se arrastam sobre a terra. E Deus viu que isso era bom. Então Deus disse: "Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos e sobre toda a terra, e sobre todos os répteis que se arrastem sobre a terra." Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher. Deus os abençoou: "Frutificai, disse ele, e multiplicai-vos, enchei a terra e submetei-a. Dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todos os animais que se arrastam sobre a terra." Deus disse: "Eis que eu vos dou toda a erva que dá semente sobre a terra, e todas as árvores frutíferas que contêm em si mesmas a sua semente, para que vos sirvam de alimento. E a todos os animais da terra, a todas as aves dos céus, a tudo o que se arrasta sobre a terra, e em que haja sopro de vida, eu dou toda erva verde por alimento." E assim se fez. Palavra do Senhor   Ass.: Graças a Deus   Bênção dos animais   Pe.: Oremos,    Ó Deus, criador e doador de todos os bens, e que tudo fizestes com sabedoria e destes ao homem, criado à vossa semelhança, o domínio sobre todos os animais, nós vos pedimos, por intercessão de São Francisco de Assis, que †abençoeis estes animais e concedei que eles satisfaçam as necessidades da humanidade, enquanto nós, vossos filhos, ajudados por estes meios materiais, possamos fazer bom uso de tudo o que condiciona a existência humana, enquanto aspiramos confiantes, aos bens eternos. Por Cristo, vosso Filho e nosso Senhor, na unidade do Espírito Santo. Ass.Amém   (Enquanto o padre asperge os animais, entoa-se algum canto))   Bênção final   Pe.:  O Senhor esteja convosco Ass.:    Ele está no meio de nós Pe.: Desça do céu, pela intercessão de São Francisco de Assis, a bênção de Deus todo-poderoso, Pai e Filho †e Espírito Santo. Ass.:Amém.   * Este material foi elaborado para que todas as paróquias da Diocese de Assis festejem o seu padroeiro diocesano, São Francisco de Assis. **As equipes de liturgia, à medida do possível, poderão se utilizar deste subsídio para prepararem as celebrações do dia 04 de Outubro, para lembrarmos e propagarmos a devoção a São Francisco . *** As orações deste dia são próprias do santo (missal, p. 671), contudo, a Liturgia da Palavra será a do Domingo do Tempo Comum. Os padres deverão utilizar paramentos de cor branca.  
    Em janeiro de 2014, o papa Francisco, ao dirigir-se ao corpo diplomático sediado no Vaticano, declarou que «causa horror só o pensar que haja crianças que não poderão jamais ver a luz, vítimas do aborto», pecado que o santo padre qualificou de manifestação da «cultura do descarte» contemporânea e «negação da dignidade humana» (cf.http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/speeches/2014/january/documents/papafrancesco_20140113_corpo-diplomatico.html). A dignidade inviolável da vida humana inocente, em todas as suas fases, não é apenas um princípio do Evangelho como também um fundamento para a construção de uma sociedade que promova efetivamente a dignidade da pessoa humana. É com esse pensamento, e com o propósito de atender aos apelos do papa Francisco, como também dos papas anteriores, Bento XVI e S. João Paulo II, que a Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul-1 da CNBB vem a público, neste período de eleições, propor uma reflexão sobre esse assunto de vital importância, sem medo de exercer igualmente o papel profético da denúncia, convencida de que calar-se sobre este ponto equivaleria a omitir-se gravemente no cumprimento de sua missão.     Infelizmente, ao se fazer um balanço sobre a atuação do atual governo na questão da defesa da vida, os resultados obtidos foram indiscutivelmente sombrios. Neste período de governo, podemos assinalar os seguintes fatos: 01)  A Presidente deu continuidade e renovou por três vezes o convênio com a Fundação Oswaldo Cruz, tendo por objeto o “estudo e pesquisa para legalizar o aborto no Brasil”; ao ser renovado pela presidente, o objeto passou a ser estrategicamente designado como “estudo e pesquisa sobre o aborto para fortalecer o Sistema Único de Saúde”,  mas a equipe contratada continuava sendo a mesma, constituída pelos principais ativistas e representantes das ONGs que promovem, no Brasil, o reconhecimento dos “direitos sexuais e reprodutivos das mulheres”, expressão eufemística criada na Conferência do Cairo para abrir espaço ao direito do aborto.   02) Nomeou como ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres a socióloga Eleonora Menicucci, que fez diversos pronunciamentos públicos apoiando a legalização do aborto. Em 6 de junho de 2012, essa ministra declarou à Folha de São Paulo que «o governo entende que não é crime orientar uma mulher sobre como praticar o aborto». No mesmo dia a Secretaria de Atenção à Saúde do próprio Ministério declarou ao mesmo jornal que «o Sistema de Saúde brasileiro passará a acolher as mulheres que desejam fazer aborto e orientará como usar corretamente os métodos existentes para abortar» e que «Centros de aconselhamento indicarão quais são, em cada caso, os métodos mais eficazes».   03) Em fevereiro de 2013, o então ministro da Saúde, atualmente candidato ao governo do Estado de S. Paulo, em reunião com o presidente da Câmara Federal, solicitou que fosse votado em regime de urgência, um projeto de lei de autoria da deputada Iara Bernardi (PT), reapresentado em 2013 como PL 03/2013. Tal projeto de lei, apresentado simplesmente como dispondo sobre “atendimento obrigatório e integral de pessoas em situação de violência sexual”, não menciona explicitamente a palavra ‘aborto’, mas, conforme reconheceu sua própria autora, a deputada Iara Bernardi (PT), procura dar força de lei às normas técnicas do Ministério da Saúde que dispõem sobre o aborto supostamente legal, ainda que não haja no Brasil lei alguma definindo o aborto como direito em caso algum.   Após ter sido impulsionado em todas as etapas de tramitação por parlamentares da frente governista, este PL 03/2013 foi aprovado por unanimidade na Câmara dos Deputados em 5 de março e no Senado em 4 de julho, sendo transformado na Lei Federal n. 12.845/2013 após ter sido sancionado e promulgado pela presidente Dilma Rousseff (PT) no dia 1º de agosto de 2013. Essa Lei n. 12.845, que ganhou o apelido de Lei Cavalo de Troia pela forma enganosa como foi apresentada ao Congresso, institui o aborto como prática obrigatória em todos os hospitais públicos e conveniados com o SUS, sem respeito pela objeção de consciência dos hospitais mantidos pela Igreja Católica ou outras comunidades religiosas. Exige-se que o médico pratique o aborto, mesmo contra a própria consciência, quando não houver outro médico disposto a praticá-lo.   Outra novidade da Lei Cavalo de Troia é a definição de “violência sexual” como “qualquer relação sexual não consentida”, expressão que permite ser interpretada da maneira mais ampla possível e sem necessidade de apresentação de qualquer prova, nem mesmo boletim de ocorrência. Aliás, desde setembro de 2007, o PT assumiu em seu programa estatutário a legalização do aborto e a execução dessa prática em todos os casos no serviço público. Além do PT mais oito partidos políticos, registrados no Tribunal Superior Eleitoral, incluem explicitamente em seus estatutos ou programas a legalização do aborto, a saber: o Partido Comunista Brasileiro (PCB), o Partido Popular Socialista (PPS), o Partido Comunista do Brasil (PCdoB), o Partido da Causa Operária (PCO), o Partido Democrático Trabalhista (PDT), o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL), o Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) e o Partido Verde (PV).   Quanto à realização de um plebiscito sobre a legalização do aborto, em 2007, quando da visita do papa Bento XVI ao Brasil, o então secretário-geral da CNBB declarou que “Colocar em plebiscito o direito de matar é um absurdo. Ninguém gostaria que seu direito de viver dependesse do resultado de um plebiscito”. S. João Paulo II na sua encíclica “Evangelium Vitae” assim se expressa: “Quando uma maioria parlamentar ou social decreta a legitimidade da eliminação, mesmo sob certas condições, da vida humana ainda não nascida, por ventura não assume uma decisão ‘tirânica’ contra o ser humano mais débil e indefeso? Porventura (os crimes contra a humanidade) deixariam de ser crimes, se, em vez de terem sido cometidos por tiranos sem escrúpulos, fossem legitimados por um consenso popular? Não se pode mitificar a democracia até fazer dela o substituto da moralidade.” (EV 70).  Infelizmente, a candidata do PSB à Presidência da República apoia a realização de um plebiscito sobre a legalização do aborto no Brasil. Esse posicionamento contradiz o direito à inviolabilidade da vida humana desde a concepção até à morte natural, sempre defendido pela Igreja. (Fontes: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc1204200718.htm   http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/marina-defende-plebiscito-para-aborto-e-maconha/)   É bom que se recorde igualmente que os serviços de aborto, supostamente legal (sendo que não há lei que defina o aborto como direito no Brasil), começaram na prefeitura de São Paulo, em 1989, durante a gestão da atual coordenadora geral da campanha de Marina Silva, com a portaria n. 692/1989, do então Secretário Municipal de Saúde, hoje candidato do PV, que também apoia explicitamente o aborto em seu programa estatutário. (Fonte: http://noticias.r7.com/eleicoes-2014/pre-candidato-pelo-pv-eduardo-jorge-defende-legalizacao-do-aborto-e-da-maconha-14062014)            Em seu artigo sobre “Fé e Política”, o Bispo de Guarulhos SP, escreve:” Se um candidato...escolheu um partido que tem posições contrárias à defesa da vida, desde a sua concepção até à morte natural, e vincula e obriga os seus membros a esta posição, seria imoral para o cristão fazer tal opção política.” (Folha Diocesana de Guarulhos, n° 212, julho de 2014). A Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul-1 da CNBB recomenda a todos os cidadãos muito discernimento nestas eleições, para que o nosso voto fortaleça a defesa da Vida Humana em todas as suas fases e não contribua a espalhar a “cultura do descarte” de seres humanos, denunciada pelo papa Francisco.   COMISSÃO EM DEFESA DA VIDA DO REGIONAL SUL-1 DA CNBB   ASSINAM ESTE FOLHETO OS COORDENADORES DAS COMISSÕES DIOCESANAS EM DEFESA DA VIDA (CDDVS) DAS (arqui)DIOCESES (em ordem ALFABÉTICA) DE:   Campinas – Diácono João VICENTE DA Silva; Guarulhos – Maria   LEÔNIA DA   Silva; Itapetininga – Irmã Aparecida Reis; S. André – ROBERTO VERTAMATTI; S. José dos Campos – João Pinheiro Neto; E, o Coordenador da Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1- pe. Berardo Graz   “Autorizam a divulgação deste texto o Presidente da Comissão em Defesa da Vida do Regional Sul 1 da CNBB, DOM JOSÉ BENEDITO SIMÃO, e o Bispo Referencial da Pastoral Familiar do mesmo Regional Sul 1 DOM EMÍLIO PIGNOLI”                
No dia 7 de setembro a Legião de Maria da Diocese de Assis realizou na Paróquia Nossa Senhora da Paz em Paraguaçu Paulista no bairro da Roseta um Exploratio Dominicalis. Participaram 180 legionários vindos dos vários conselhos da diocese (Paraguaçu Pta, Rancharia, Roseta, Maracai, Assis e Cândido Mota). Foram visitadas 290 casas e realizado um cadastramento do bairro. Finalizando o dia Frei Sebastião celebrou a Santa Missa em Ação de Graças pelos 93 anos de fundação da Legião de Maria no Mundo.  SALVE MARIA!  
    Tradução Tradução Pedrinhas Paulista vivenciou uma grande celebração festiva neste último final de semana, pois, receberam a relíquia de San Pio de Pietrelcina, vinda diretamente da cidade de San Giovanni Rotondo na Itália. A relíquia que chega ao Brasil dia 06, foi recepcionada com uma grande celebração no dia 07, celebrada pelo bispo diocesano Dom José Benedito Simão.
TRE-SP indefere candidatura de Maluf após voto de desempate     O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) negou, por 4X3, o pedido de registro de candidatura a deputado federal de Paulo Salim Maluf (PP) às Eleições 2014. O presidente do Tribunal, desembargador Antônio Carlos Mathias Coltro (foto), que proferiu hoje (1º/9) o voto de desempate, entendeu que Maluf não pode ser candidato porque está enquadrado na Lei da Ficha Limpa, em razão de condenação sofrida no Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJSP).   Em 4 de novembro de 2013, a 10ª Câmara de Direito Público do TJSP manteve condenação de Paulo Maluf por ato de improbidade administrativa. O Judiciário estadual paulista reconheceu irregularidades na execução de contratos para a construção do complexo viário Ayrton Senna, na capital de São Paulo, em 1996, época em que Maluf era prefeito. A Procuradoria Regional Eleitoral ofereceu impugnação com base nessa condenação.   Discussão sobre ato doloso   A questão que dividiu o tribunal foi a existência de dolo (intenção)  nos fatos que ensejaram a condenação no TJ,  requisito indispensável à configuração da inelegibilidade prevista na alínea "l", artigo 1º, da lei da Ficha Limpa.   Segundo o presidente do TRE, houve a conduta dolosa para efeito de improbidade administrativa. “O fato de o acórdão do egrégio Tribunal de Justiça haver aludido, numa e noutra passagem, a ato culposo, ou a culpa grave, não repele o desfecho que ora se adota. Até porque, como bem ressaltou a impugnante, não houve afastamento peremptório do dolo; disse-se, tão somente, que o ato de improbidade exige, no mínimo, conduta culposa”, explica o presidente.   O presidente do Tribunal paulista ressalta que não desconhece que “descabe” à Justiça Eleitoral promover novo julgamento dos atos de improbidade administrativa analisados pela justiça comum. No entanto, Coltro afirma que isso  “não elimina a possibilidade, ou mais, a necessidade, de o magistrado, no campo eleitoral, interpretar a decisão, para dela extrair suas consequências no âmbito eleitoral”.   Para o relator do processo, des. Mário Devienne Ferraz, que ficou vencido, apesar de estarem presentes o enriquecimento ilícito e o dano ao erário, exigidos pela lei como consequência do dolo,  “na referida ação não se concluiu pela prática de ato doloso do ex-prefeito. Ao contrário, afirmou-se ter ele agido de forma culposa, negligente, não se podendo fazer ilações sobre a natureza da conduta praticada para reconhecer o dolo”, sustenta o desembargador. Devienne Ferraz foi seguido pelos juízes Alberto Toron e Costa Wagner.   O juiz Silmar Fernandes, que abriu a divergência,  entende que se trata de inelegibilidade reflexa, “o dolo está configurado, pois houve pagamento de quantia vultosa por serviço público não prestado, tanto dano ao erário como também enriquecimento ilícito de terceiros”. Para ele, “mesmo que fosse discutível a incidência do dolo direto, houvera, no mínimo, dolo eventual”, uma vez que Maluf  tinha plena ciência da forma irregular que as condutas eram praticadas, conclui. O voto do magistrado foi acompanhado pelos juízes Diva Malerbi e Roberto Maia.   Campanha sub judice   Em caso de recurso ao TSE, Maluf poderá efetuar todos os atos relativos à sua campanha eleitoral, inclusive utilizar o horário eleitoral gratuito para a propaganda, conforme prevê a legislação.   Da decisão, publicada hoje em sessão, cabe recurso ao TSE.   Processo nº: 237384   Fonte: http://www.tre-sp.jus.br/ Candidaturas de quatro deputados são barradas em ações da PRE/SP       Tribunal indefere registro dos deputados federais Camarinha, Junji Abe e Newton Lima e do deputado estadual Alexandre da Farmácia     Em ações de impugnação propostas pela Procuradoria Regional Eleitoral em São Paulo (PRE-SP), o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) negou nesta segunda-feira (01/09) os pedidos de registros dos deputados federais José Abelardo Guimarães Camarinha (PSB), Jungi Abe (PSD) e Newton Lima (PT) e do deputado estadual Alexandre José da Cunha (Alexandre da Farmácia, do PP). Os quatros candidatos à reeleição foram impugnados pela PRE-SP por terem sido condenados por ato doloso de improbidade administrativa, que os torna inelegíveis pela Lei da Ficha Limpa.   Camarinha foi condenado por improbidade administrativa pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ/SP). A decisão decretou a suspensão de seus direitos políticos por cinco anos e reconheceu irregularidades na contratação de serviço no período em que Camarinha era prefeito da cidade de Marília. O município firmou convênio com a União Federal para erradicação do "aedes aegpti" na cidade, e contratou trabalhadores, que realizaram atividades sem relação com o real objeto da contratação, sem regular processo seletivo.   Newton Lima teve direitos políticos cassados por cinco anos em ação civil pública por ter contratado, quando era prefeito de Sâo Carlos (SP), empresa de pesquisa sem interesse público com recursos públicos em licitação irregular. A empresa contratada e Newton Lima foram condenados solidariamente a devolverem ao Município a quantia de R$ 47.874,00 e pagarem multa civil no valor equivalente ao dano. A suspensão dos direitos políticos foi determinada em sentença e confirmada por órgão colegiado, o que o torna inelegível pela Lei da Ficha Limpa.   Junji Abe foi condenado à suspensão dos direitos políticos, em decisão proferida por órgão judicial colegiado, por ato doloso de improbidade administrativa que importa lesão ao patrimônio público e enriquecimento ilícito. A condenação deveu-se à nomeações sem prévio concurso público para cargos em comissão na prefeitura de Mogi das Cruzes, onde Jungi Abe exercia o cargo de prefeito. Estes cargos seriam de provimento efetivo, sendo imprescindível a realização de concurso público.   Alexandre da Farmácia foi condenado também por ato doloso de improbidade administrativa. Na sentença confirmada pelo TJ-SP, afirma-se que no cargo de vereador, ele “aproveitou-se do apoio recebido da Prefeitura Municipal de São José dos Campos para a realização dos eventos denominados "Festa Juninês" e "Pararangaba Fest" (ocorridos em 2011, 2002, 2003 e 2004) para promoção pessoal.”     Processos relacionados - 807-03, 1404-69, 2427-50, 2812-95 Fonte: http://www.presp.mpf.mp.br/index.php?option=com_content&view=article&id=1037:2014-09-01-21-15-37&catid=1:notas&Itemid=284     Minha fé é política porque ela não suporta separação entre o corpo de Jesus e o corpo de um irmão. Minha fé é política porque crê que a economia pode mudar um dia e ser toda solidária. Minha fé é política porque acredito na juventude, na sua força e inquietude, no seu poder de diferença e na força da velhice que com sua sabedoria e experiencia ainda tem muito a colaborar, para um país justo, igualitário sem tantas injustiças sociais..    Pastoral Fé e Política Arquidiocese de São Paulo A partir de Jesus Cristo em busca do bem comum  www.pastoralfp.com http://pastoralfp.blogspot.com   Caso não queira receber os nossos informes, por favor, responder esse e-mail com o assunto “Remover meu e-mail da lista    
Queridas Paróquias, pedimos a todos que enviem o resultado da votação por urna, preenchendo a planilha do Plebiscito Popular.   Favor, entregar no CEDIPAS –ASSIS/SP.        Ao final da reunião da Região Centro da Diocese de Assis, em 04/09/14, o "Grupo Cidadania Assis e Região", onde a Diocese de Assis está representada pelo Pe. Sergio, Zezinho-Coordenador do Grupo, que também é membro da Comissão Fé e Politica  do CNLB-Regional Sul-1, explicou, que, como integrante da referida Comissão, trabalhou e conseguiu que a Assembleia dos Bispos da Sub-Região de Botucatu, em Outubro de 2013, aprovasse como uma das temáticas para o ano de 2014, fosse exatamente a REFORMA DO SISTEMA POLITICO. Assim, em 20/05/2014, o Prof. José Antonio Moroni, Coordenador da COALIZÃO Nacional dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político esteve em Marília-SP, falando aos Bispos da Sub-Região. Consequentemente, Dom Simão, sensibilizado, assumiu parceria para trazer MORONI para falar ao povo de Assis e Região, o que aconteceu em 14 de agosto de 2014, na Associação Comercia de Assis-ACIA, sob a responsabilidade do Grupo Cidadania Assis e Região, que foi criado a partir deste objetivo. E nesta Reunião da Região Centro da Diocese de Assis, como consequência prática da Reforma Política, todas as Paróquias assumiram o desenvolvimento do Plebiscito por uma Constituinte Exclusiva e Soberana pela Reforma do Sistema Político. Todas as paróquias se comprometeram a entregar a APURAÇÃO FINALIZADA  até o dia 10/09/2014. O Centro Diocesano de Pastoral receberá esta APURAÇÃO FINALIZADA, repassando-a ao Grupo de Cidadania Assis, que a enviará para a Plenária Estadual em São Paulo até o dia 15/09/2014. Posteriormente ao dia 21/09/14, a Plenária Nacional em Brasília divulgará o resultado final deste Plebiscito.    
     RESULTADO DA VOTAÇÃO ONLINE DO PLEBISCITO POPULAR PELA CONSTITUINTE PLEBISCITO CONSTITUINTE COMUNICADO SECRETARIA OPERATIVA NACIONAL Data da notícia:  09/09/2014 Estimados brasileiros e brasileiras    Como Secretaria Operativa Nacional da nossa Campanha, em nome de mais de 450 organizações participantes e 1800 Comitês Populares, queremos saudar os milhões de Brasileiros e Brasileiras que participaram do Plebiscito Popular dando o seu voto em Urnas Físicas ou pela Internet.   Também queremos saudar e parabenizar os milhares de militantes e ativistas voluntários que, em todos os rincões do nosso imenso Brasil, do Oiapoque ao Chuí, construíram com muita dedicação, força, coragem e alegria o Plebiscito Popular pela Constituinte. Se dedicaram desde o Lançamento Nacional - em Novembro de 2013 -, na construção de Lançamentos Estaduais, Cursos de Formação de Ativistas, Organização de Comitês Populares, Ações Públicas nos Dias de Luta, até chegar a tão esperada Semana da Pátria, em que se instalaram mais de 40.000 urnas por todo o país, e todos trabalharam em mutirão para conversar com a população sobre as necessárias mudanças do sistema político e os rumos do nosso país.   Com o trabalho de todos estes ativistas, nossa Campanha pela “Constituinte Já” ocupou as ruas, as praças, escolas, fábricas, universidades, paróquias, povoados, assentamentos rurais, sindicatos, e na era da internet, também ocupamos as redes sociais, com fotos, memes, hashtags e muita criatividade. Envolvemos artistas, intelectuais, lideranças sindicais e populares. Pressionamos os candidatos às eleições a se posicionarem sobre o tema, especialmente os presidenciáveis.   Assim, conseguimos ampla repercussão, apesar do “muro de silêncio”, propositalmente montado pela grande mídia, o que só reforça a nossa posição pela democratização dos meios de comunicação no Brasil.   Os próximos dias ainda serão de grande trabalho, nos quais os Comitês Populares estão mobilizados em contabilizar os votos em urnas “físicas”. No entanto, já divulgaremos oresultado da Votação pela Internet (OnLine), tivemos a participação de 1.744.872 pessoas em todo o país, destas 96,9% (1.691.006) votaram SIM à Constituinte do Sistema Político, e 3,1% (53.866) votaram NÃO.  O resultado final da votação será divulgado no dia 24 de Setembro, em Coletiva de Imprensa (em breve enviaremos mais informações).Em seguida,  ainda sem data definida,entregaremos os resultados do Plebiscito Popular aos três poderes: Presidência da República (Executivo), Congresso Nacional (Legislativo) e Supremo Tribunal Federal (Judiciário), como forma de pressionar, especialmente o Congresso, por um Plebiscito Oficial com o mesmo tema do Plebiscito Popular.  Embora não tenhamos os números finais, podemos afirmar que a batalha foi vitoriosa. Sabemos que a conquista de uma Constituinte para fazer a Reforma Política, e destravar as reformas estruturais que a nação necessita, não será tarefa fácil, mas seguiremos organizados e mobilizados para levar esta bandeira adiante nos próximos períodos.  Acreditamos, sem a menor sombra de dúvida, que todo este processo de mobilização se coloca entre um dos maiores e mais importantes realizados em unidade entre o movimento popular, sindical e da juventude. Estamos confiantes que a força social e política demonstrada no Plebiscito Popular será preservada e ampliada no próximo período enos garantirá a vitória!  São Paulo,9 de setembro de 2014-Secretaria Operativa Nacional       Cartaz MENSAGEM SOBRE A REFORMA POLÍTICA  Brasília, 29 de agosto de 2014 P. Nº. 0696/14  A Presidência da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB, atenta à sua missão evangelizadora e à realidade do Brasil, reafirma sua convicção, como muitos segmentos importantes da sociedade brasileira, de que urge uma séria e profunda Reforma Política no País. Uma verdadeira reforma política melhorará a realidade política e possibilitará a realização de várias outras reformas necessárias ao Brasil, por exemplo a reforma tributária. Esclarecemos que este Projeto de Lei de Iniciativa Popular pela Reforma Política não está vinculado a nenhum partido político, tão pouco a nenhum candidato a cargos políticos eletivos, embora não haja restrição do apoio de bons políticos do Brasil. Várias tentativas de reforma política foram feitas no Congresso Nacional e todas foram infrutíferas. Por isto, estamos empenhados numa grande campanha de conscientização e mobilização do povo brasileiro com vistas a subscrever o Projeto de Lei de Iniciativa Popular pela Reforma Política Democrática, nº 6.316 de 2013, organizado por uma Coalizão que reúne uma centena de Entidades organizadas da sociedade civil, como a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), o Movimento contra a Corrupção Eleitoral (MCCE) e a Plataforma dos Movimentos Sociais. O Projeto de Lei de Iniciativa Popular pela Reforma Política Democrática se resume em quatro pontos principais: 1) O financiamento de candidatos; 2) A eleição em dois turnos, um para votar num programa o outro para votar numa pessoa; 3) O aumento de candidatura de mulheres aos cargos eletivos; 4) Regulamentação do Artigo 14 da Constituição com o objetivo de melhorar a participação do povo brasileiro nas decisões mais importantes, através do Projeto de Lei de Iniciativa Popular, do Plebiscito e do Referendo, mesclando a democracia representativa com a democracia participativa. Durante Semana da Pátria, refletiremos sobre nossa responsabilidade cidadã. Animamos a todas as pessoas de boa vontade a assinarem o Projeto de Lei que, indubitavelmente, mudará e qualificará a política em nosso País. A Coalizão pela Reforma Política e a coordenação do Plebiscito Popular coletarão assinaturas e votos, conjuntamente. Terminada a Semana da Pátria, cada iniciativa continuará o seu caminho. Trabalharemos até conseguirmos ao menos 1,5 milhões de assinaturas a favor desta Reforma Política.                 “No diálogo com o Estado e com a sociedade, a Igreja não tem soluções para todas as questões específicas. Mas, juntamente com as várias forças sociais, acompanha as propostas que melhor correspondam à dignidade da pessoa humana e ao bem comum. Ao fazê-lo, propõe sempre com clareza os valores fundamentais da existência humana, para transmitir convicções que possam depois traduzir-se em ações políticas” (Evangelii Gaudium, 241).                 A Nossa Senhora Aparecida, Mãe e Padroeira do Brasil, suplicamos que leve a Jesus as necessidades de todos os brasileiros. E Ele, com toda certeza, nos atenderá. “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2, 5).       Cardeal Raymundo Damasceno de Assis                                               José Belisário da Silva        Arcebispo de Aparecida                                                                     Arcebispo de São Luis                 Presidente da CNBB                                                                      Vice-Presidente da CNBB Leonardo Ulrich Steiner Bispo Auxiliar de Brasília Secretário Geral da CNBB             PAUTA DA REFORMA POLÍTICA      INFORMAÇÕES   I - COALIZAÇÃO DEMOCRÁTICA PELA REFORMA POLÍTICA E ELEIÇÕES LIMPAS   Trata-se de um movimento apartidário, que reúne uma centena de Entidades organizadas da Sociedade Civil, dentre elas a CNBB, OAB, MCCE e Plataforma dos Movimentos Sociais, que coordenam os trabalhos, com vistas a promover a urgente, necessária e indispensável Reforma Política no Brasil, depois de várias tentativas frustradas no Congresso Nacional.      O Projeto de Lei se resume em quatro itens importantes que, sendo implementados poderá modificar o quadro político do Brasil, recuperando-o das mazelas que o afetam severamente e qualificando-o:   ·         Afastar o poder econômico das eleições, pela proibição do financiamento de empresas a candidatos aos cargos políticos;           ·         Implementar a eleição em dois turnos, o primeiro para os eleitores escolherem um programa, o segundo para escolherem as pessoas que ocuparão os cargos políticos;   ·         Aumentar a participação das mulheres que hoje somam 53% dos eleitores e são apenas 8% nas funções políticas.           ·         Melhorar e qualificar a participação do povo brasileiro nas principais decisões do Brasil, através da regulamentação do Plebiscito, Referendo e Projeto de Lei de Iniciativa Popular, mesclando a democracia representativa com a democracia participativa.          A CNBB está empenhada neste Projeto.     II - PLEBISCITO POPULAR POR UMA CONSTITUINTE EXCLUSIVA E SOBERANA DO SISTEMA POLÍTICO   Trata-se de recolher votos da população dizendo sim à instalação de uma Assembleia Nacional Constituinte para mudar o sistema político no Brasil. A justificativa do Plebiscito Popular é a constatação de que a política não pode mais continuar como está no Brasil.        Este Plebiscito é Popular, ou seja, ele tem valor político, pedagógico, não legal. Ele serve para pressionar as instâncias governamentais a convocar um Plebiscito Oficial, com valor legal, para ouvir a população sobre a convocação de uma Constituinte para alterar o Sistema Político.      A Coalizão pela Reforma Política e a coordenação do Plebiscito Popular coletarão assinaturas e votos, conjuntamente, na Semana da Pátria. Terminada a Semana da Pátria, cada iniciativa continuará o seu caminho.     PRONUNCIAMENTO DA PRESIDENTE DILMA SOBRE O ASSUNTO   Não sabemos se a Presidente da República pretende um Plebiscito pela convocação de uma Constituinte para alterar o Sistema Político ou se ela pretende um Plebiscito para ratificar uma proposta de Reforma Política.   A CNBB continua apoiando o Projeto de Lei de Iniciativa Popular pela Reforma Política da Coalizão. VOTE ON-LINE NO PLEBISCITO POPULAR PELA CONSTITUINTEComeça a Campanha que vai mudar o destino do Brasil São mais de 1.700 comitês, milhares de ativistas em todos os estados da federação, mais de 450 das principais entidades, movimentos e organizações sociais.É a mais unitária campanha política, desde a luta contra a ALCA e as "Diretas Já". Se clicar direto neste link, já cai na cédula on linehttp://bitbitbit.com.br/plebiscito/ Basta ter o CPF. Envie esta mensagem aos teus contatos.        
ATIVIDADES REGIÃO PASTORAL 1   SETEMBRO 04/09 – 20h00 – PARÓQUIA SÃO NICOLAU – Reunião dos Padres, Religiosas, Coordenadores da Pastoral da Esperança, representantes das Paróquias na Região 1 (Assis e Cândido Mota). 26/09 – 08h30-16h00 – Encontro Secretárias Diocese e Paróquias.(Evento diocesano)   OUTUBRO 04/10 – Festa do Padroeiro da Diocese São Francisco de Assis. Celebração solene em todas as Paróquias da Diocese, seguindo o roteiro de celebração próprio. 12/10 – Festa de Nossa Senhora Aparecida – Padroeira do Brasil. Celebração em todas as Paróquias.   NOVEMBRO 02/11 – Finados Missas no cemitério municipal e Paróquias responsáveis 7h00 – Dom Simão e Vila Glória 9h00 – Pe. David José Martins (Comunidade São Judas Tadeu e São João Batista) 11h00 – Basílica S. Vicente de Paula – Vila Xavier 15h00 – Paróquia N. Sra. de Fátima – Vila Prudenciana 17h00 – Paróquia São Nicolau 14/11 – Assembléia Regional – Formação Doc. 100 CNBB – Comunidade  de Comunidades: Uma Nova Paróquia. (Assessor: Pe. Maurílio Alves Rodrigues) Local: Capela São Francisco – Vila Glória – Assis/SP Horário 20h00 5 (Cinco) Representantes por Paróquia – ligar na secretaria da Vila Glória para confirmar presença – 18 3324 1728 (atendimento segunda à sexta das 14h00 as 17h00). 28/11 – Assembléia Diocesana de Pastoral DEZEMBRO Confissões por Paróquia (o Pároco agendará)   19/12 – Confissões o dia todo na CATEDRAL 07h às 09h  -  Pe. Orlando, Pe. Juninho, Pe. Luiz 09h às 11h – Pe. Sérgio, Pe. Neto, Pe. Mauro, Pe. Luiz 11h às 13h00 – Pe. Oldeir, Pe. Juninho, Pe. Heliton, Pe. Neto. 13h às 15h – Pe. Maurílio, Pe. Orlando 15h às 17h – Pe. Airton, Pe. Manoel 17h às 19h – Pe. Manoel, Alberto, Pe. Luiz.
 
    CLIQUE AQUI PARA VISUALIZAR O NOSSO INFORMATIVO    

Região I

  SEMANA DA PADROEIRA NA PARÓQUIA N. SRA. DAS DORES DA VILA OPERÁRIA Em comemoração alusiva ao dia de Nossa Senhora das...
Veja todas ...

Região III

MENINO DA TÁBUA

MENINO DA TÁBUA

| Diocese de Assis
MENINO DA TÁBUA Desde 1977, a história do MENINO DA TÁBUA tem motivado a visita de pessoas de fé de várias...
Veja todas ...

Região II

Região IV

NOVENA DE SÃO VICENTE DE PAULA

NOVENA DE SÃO VICENTE DE PAULA

| Paróquia São Sebastião
Novena em Honra ao padroeiro São Vicente, na comunidade com mesmo nome, na Capela do Asilo. O Dia de São...
Veja todas ...

Pastorais, Movimentos e Comunidades

No dia 7 de setembro a Legião de Maria da Diocese de Assis realizou na Paróquia Nossa Senhora da Paz...
Veja todas ...

Cadastro do Usuário

Temos 4 visitantes e Nenhum membro online